Charlis prestigia trabalho do grupo Vidas Em Luta

O vereador Charlis Santos (MDB), acompanhado do assessor parlamentar Gabriel Diedrich, esteve participando no último dia 4 do encontro do Grupo Vidas Em Luta, que tem ocorrido semanalmente às quintas-feiras das 14h às 17h, no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem. O objetivo da visita ao grupo era conhecer um pouco do trabalho voluntário e abnegado em prol da saúde e bem-estar de pessoas acometidas pelo câncer.

O grupo Vidas Em Luta, que já chegou a 20 integrantes, surgiu como terapia ocupacional na Estratégia de Saúde do bairro Menino Deus nos idos de 2005, quando se iniciaram as reuniões semanais. O propósito de sua criação era formar um grupo de apoio a pessoas com tumor, idealizado pela fisioterapeuta Luciana – que perdeu a mãe e hoje reside em Bagé - e a psicóloga Bianca que já fazia um trabalho com a Liga Feminina de Combate ao Câncer. Em seguida, a farmacêutica Juliana também se inseriu no trabalho de forma voluntária, assim como as senhoras da Liga, Eda Monteiro Cardoso, Daici, Julieta e Maristela Ramos, que passaram a orientar a confecção de artesanato como terapia.

Nesses encontros, as participantes trocam valores, confraternizam com café, aprendem e fazem artesanato, os quais têm sido expostos e comercializados no Domingo Cultural, por exemplo, dentre outras feiras.

Participante e uma das lideranças do grupo, Laura Pereira da Silva explica que o objetivo é acolher essas pessoas vítimas do câncer durante o tratamento, principalmente quando saem do hospital. “É um grupo de passagem, onde quem sai do hospital pode obter uma terapia de recuperação e reinserção social pós-internação hospitalar. Por isso, o número de participação varia, pois muitas pessoas felizmente conseguem retomar a normalidade de suas vidas, para nossa alegria e satisfação”, afirma Laura.

O Grupo Vidas Em Luta trabalha hoje com seis diferentes projetos multidisciplinares: “Cabeça Feita”, momento com a psicóloga; “Mãos à Obra”, confecção de artesanato com as instrutoras da Liga, Eda, Maristela e Juleica; “Amor Por Um Fio”, construção de perucas para pacientes de quimioterapia; “Costurando Sonhos”, oficina de corte e costura, e “Malhando Ideias”, momento com a educadora física Michelle Diedrich, que oferece uma hora semanal de atividades físicas orientadas de acordo com cada caso clínico.

Sede própria

O grupo Vidas Em Luta reúne-se semanalmente às terças-feiras à tarde em espaço cedido no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem, por concessão do padre Vilson Schafer. Tomando conhecimento da realidade do espaço que hoje ocupam e da necessidade de ter um local mais acolhedor e reservado, o vereador Charlis Santos apresentou requerimento ao prefeito Daiçon Maciel da Silva na última sessão ordinária da Câmara, realizada na segunda-feira (10). Em seu pedido, o parlamentar solicita que a Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes estude a viabilidade e possibilidade do Grupo Vidas Em Luta ocupar uma das “casas açorianas” instaladas no Parque Caetano Tedesco.

A cedência de uma das casas açorianas permitiria que essas senhoras tivessem o devido e reservado espaço para a prática de terapia ocupacional, pois hoje elas não têm um lugar permanente e público para se reunirem, ficando dependentes da boa vontade e disponibilidade de instituições de cunho privado e religioso.

Com a garantia desse local público e permanente, o Grupo Vidas Em Luta poderia zelar e manter pelo espaço, tendo a “casa açoriana” como referência para que ele possa se manter e agregar ainda mais voluntários.