Palmeira do Sertão recebe Projeto A Voz da Comunidade

 

O vereador tem como funções primordiais legislar e representar os interesses da população perante o poder público. Além disso, ele também deve fiscalizar as ações do Poder Executivo municipal, ou seja, das ações do prefeito, entre outras obrigações. Já o Poder Executivo é o que tem maior ação prática, uma vez que consegue transformar em atos as leis promulgadas pelo Poder Legislativo.

Sabendo de suas funções como representante do povo Marcelo Gaúcho iniciou um Projeto chamado “A Voz da Comunidade” onde ele reúne-se com moradores das mais diversas localidades, ouvindo e anotando as demandas daquela comunidade para encaminhá-las ao executivo. Outro ponto importante do projeto é explicar as funções e deveres do vereador e da prefeitura, ou poder Executivo, que é aquele direcionado à execução, como o próprio nome indica, além de ter o dever se estar sempre a serviço dos cidadãos e de seus interesses.

A localidade de Palmeira do Sertão foi sede da segunda edição do Projeto A Voz da Comunidade. A moradora Rosângela Krech cedeu a garagem de sua casa para que o encontro ocorresse na noite da ultima quinta-feira, 18, visto que a comunidade não possui uma sede própria. Além dos moradores, a reunião teve a participação do Presidente do Legislativo, vereador Rodrigo Massulo.

As maiores necessidades da comunidade são de responsabilidade da Secretaria Municipal de Obras, Trânsito e Segurança, assim como ocorreu na reunião em Imbiruçu. Os moradores pedem patrolamento, ensaibramento e colocação de material nas estradas da localidade e que a prefeitura encontre uma solução para o sistema de canos da rede de água que foi feita muito perto da superfície, o que deixa os motoristas de veículos mais pesados com medo de passar por cima deles. Ademais, a comunidade tem um Projeto a ser desenvolvido que depende das condições da estrada. Trata-se das Sementinhas do Artesanato, uma iniciativa das moradoras que pretendem plantar flores na beira da estrada e nos barrancos, com o intuito de embelezar o Caminho de Santiago, porém, precisam que a Prefeitura arrume as vias e as deixem em condições de realizar o plantio.

A comunidade também solicitou a presença de um Agente Comunitário, o aumento da carga de energia elétrica para a CEEE, e a melhora do sinal de telefone ou a instalação de uma antena de maior alcance. Também levantaram a possibilidade de ocupar o espaço (em desuso) que foi de uma escola municipal, hoje desativada, como sendo a sede da comunidade. Assim poderão promover reuniões, clube de mães, projetos sociais e outras atividades em prol do bem comum.

Marcelo lembra que a ida até as comunidades não significa prometer ou garantir algo, e sim, recolher demandas e buscar soluções junto ao executivo e os órgãos competentes encurtando o caminho entre morador e o poder competente. O Vereador Rodrigo Massulo completa ainda que estes encontros servem para “fazer o meio de campo entre executivo e legislativo, cobrando as demandas da população”.