Samuka sugere criação de Carteira de Identificação do Autista para assegurar atendimento prioritário

 

Uma importante sugestão ao Executivo foi protocolada pelo Vereador Samuel Souza na última Reunião Ordinária da Câmara nesta segunda-feira, 04 de novembro. A Indicação nº 103/19 propõe que a Administração Municipal estude a possibilidade de criação de uma carteira no município, visando a identificação dos portadores do autismo, também chamado de Transtorno do Espectro Autista (TEA), com objetivo de assegurar atendimento prioritário em serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.

Esta carteirinha já existe no estado de Santa Catarina, desde setembro deste ano. A documentação facilita a identificação dos portadores do transtorno, chamada Carteira de Identificação do Autista (CIA). No território catarinense, a carteira permite ao portador o acesso gratuito ao transporte intermunicipal e 50% de desconto na passagem do responsável legal que o estiver acompanhando. Além disso, o portador terá direito ao atendimento prioritário em todos os estabelecimentos públicos e privados do Estado.

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) refere-se a uma série de condições caracterizadas por desafios com habilidades sociais, comportamentos repetitivos, fala e comunicação não-verbal, bem como por forças e diferenças únicas.

O autismo é apenas um dos transtornos que integram o quadro de Transtorno do Espectro Autista (TEA). Outros exemplos de transtornos que fazem parte do espectro – e que anteriormente eram considerados diagnósticos distintos – são: a Síndrome de Asperger e o Transtorno Global do Desenvolvimento.