Câmara cobra da Prefeitura agilidade na castração de animais de rua

Os números de animais abandonados só aumentam em Santo Antônio da Patrulha, o que acaba afetando a saúde pública, além de estarem expostos aos mais diversos riscos e maus-tratos.

O bem estar animal, que exige a implementação de políticas públicas, foi motivo de debate na 13ª Reunião da Câmara de Vereadores, na tarde de segunda-feira (11/05). A solução para o problema detectado há muito tempo em Santo Antônio da Patrulha, diante da reprodução descontrolada de animais de rua, é a castração.

O Vereador do MDB Jair Belloli, no uso da tribuna, desabafou que, no mínimo, há seis meses o Presidente da Casa Legislativa, André Selistre (PP), vem cobrando uma resposta da administração sobre o projeto “Bem Estar Animal” e suas readequações. Conforme o ofício Nº 373/20, encaminhado pelo poder público, foi solicita a retirada e devolução do Projeto de Lei nº 222/19 (Código Municipal de Bem Estar Animal).

A questão animal hoje é um clamor da sociedade que deve ser tratada de forma séria e com ética. Todos os vereadores, enquanto legisladores e fiscais do Poder Executivo, tem que fiscalizar e cobrar as questões apresentadas pela administração e urgentemente ter um programa de castração no município.

Esses animais se multiplicam em progressão geométrica e com certeza há muito mais gatos e cães abandonados na cidade. Até o início deste ano nada foi feito pelo poder público para amenizar esse problema em termos de controle populacional animal.

O vereador do PP Rodrigo Massulo relatou na tribuna que houve um comprometimento da administração com a população em apresentar uma solução, pois animais de rua também se enquadram em casos de saúde pública. Convênios com clínicas e veterinárias, ou até mesmo o uso do próprio veterinário da prefeitura, poderiam garantir um passo importante nesta questão.

Vale destacar que o município de Santo Antônio da Patrulha está muito atrasado nessa questão. As cidades de Taquara, Novo Hamburgo e Sapucaia do Sul já investiram em unidades móveis, microchipagens e salas específicas para os atendimentos.

“Espero uma política pública nesse sentido para que tenhamos um controle populacional animal aqui no município”, salienta Massulo, lembrando que essa questão estava no plano de governo do Prefeito Daiçon.

Marcelo Gaúcho confirmou que este assunto já vem sendo debatido há bastante tempo com o próprio prefeito e deseja uma solução rápida. Na visita realizada pelo Deputado Federal do PTB-RS Maurício Dziedricki, na semana passada em Santo Antônio, o próprio vereador já esteve articulando a vinda de um castramóvel para o município.

“Será que este compromisso ficará somente no papel por parte da Prefeitura?”, questionam os parlamentares.