O Tradicionalismo e a Escola: relações em construção no município de Santo Antônio da Patrulha

A Secretaria Municipal da Educação, juntamente com a Secretaria Municipal da Cultura, Turismo e Esportes e a parceria com o vereador Sérgio Airoldi (Canário-Progressista), promoveram o 1º encontro na quinta-feira (15), para oferecer aos professores a oportunidade de integração e enriquecimento acerca da cultura tradicionalista e do folclore gaúcho. O encontro aconteceu no sala de reuniões do Qorpo Santo, com a presença de um representante por escola do município e mais, o secretário da Cultura, Turismo e Esportes, Cristiano Quevedo, a diretora Pedagógica da Secretaria da Educação, Maria Suzete Gross, a Coordenadora Pedagógica da Secretaria da Educação, Angelita Borges Cardoso, Supervisor da SEMED e Professor, Sérgio Paulo de Fraga, e o historiador Fernando Lauck.  

O objetivo é enfocar a construção das relações entre o tradicionalismo, como movimento cultural organizado, no Rio Grande do Sul, e as escolas como instituições educacionais. Neste sentido, através de um longo trabalho pela frente, foram apresentadas e discutidas algumas reflexões sobre o Folclore e Tradicionalismo onde se pode ser perceber o estabelecimento destas relações.

A ideia é incluir o conteúdo sobre a cultura tradicionalista gaúcha nas aulas ministradas em escolas públicas da rede municipal. Segundo o vereador, a iniciativa de estimular o ensino da cultura do Estado provocará mudanças positivas no comportamento dos jovens alunos do município, incentivando-os a seguir os passos da tradição.

Para o historiador, Fernando Lauck, o tradicionalismo baseia-se no folclore, na sociologia, na arte, na literatura, no esporte e na recreação, entre outros ramos do saber que intermedeiam o alcance dos fins tradicionalistas.

A Diretora Pedagógica Maria Suzete Gross e a Coordenadora Pedagógica Angelita Borges Cardoso afirmam que, além de rememorar fatos históricos importantíssimos, o projeto visa à construção de um futuro glorioso, embasado no que há de mais belo no nosso Rio Grande do Sul: as tradições.

“As escolas revelam-se como uma ponte entre a tradição e a criança. Uma vez que exerce forte influência no pensamento e opinião destas e atinge a maioria delas”, lembra o secretário de Cultura, Cristiano Quevedo.

Ciente do papel da escola na construção da identidade social das crianças e jovens, o vereador e tradicionalista Canário sugere inserir novas formas e ir buscando gaúchos em potencial, crianças para as quais falta apenas um contato inicial que desperte um sentimento latente.

Essa preocupação transparece nas falas dos professores presentes, que enfatizaram o quão importante é esse intercâmbio escolar e CTG. O que vem ocorrendo ao longo dos anos, no entanto, são ações isoladas que partem dos próprios professores intimamente ligados à causa tradicionalista que desenvolvem projetos, por um curto período.

Os professores chegaram ao consenso de que o melhor seria a criação de mostras com a participação de jovens (prendas e peões) debatendo com os alunos da sua idade, sem medo de se manifestar. Essa participação dos jovens é o que pode garantir o que foi idealizado já neste primeiro encontro e concretize-se. Como foi tão frisado durante o evento, seriam os jovens os responsáveis por manter viva a tradição.

No final da reunião todos concluíram que este foi um momento muito especial. Já para o próximo encontro serão também convidados a participarem   as escolas particulares e do Estado, abandonando o plano das ideias e partindo para uma ação efetiva, o que exige empenho de todos: jovens prendas e peões, professores, escolas, MTG, CTGs. “Estamos ajoujados na mesma canga, carreteando os mesmos ideais”.