Vereador Gabriel Diedrich quer oficializar Setembro Amarelo e Dia Municipal de Prevenção ao Suicídio

Nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a prevenção é fundamental para reverter essa situação. Por isso, o vereador Gabriel Diedrich (MDB) protocolou na sessão ordinária do dia 3 de setembro o Projeto de Lei 327/2021 para instituir a Campanha de Valorização da Vida, “Setembro Amarelo” e o “Dia Municipal de Prevenção ao Suicídio”, em 10 de setembro.

O objetivo é alertar e promover o debate sobre o suicídio e as suas possíveis causas; contribuir para a redução dos casos de suicídios no Município; estabelecer diretrizes para o desenvolvimento de ações integradas, envolvendo a população, órgãos públicos, instituições públicas e privadas, visando ampliar o debate sobre o problema; e estimular, sob o ponto de vista social e educacional, a concretização de ações, programas e projetos na área da educação e prevenção.

“A conscientização deve acontecer durante todo o ano, mas o Setembro Amarelo serve para marcar nossas ações nesse sentido, estimular a prevenção e conscientização sobre o tema”, explica Diedrich.

O parlamentar reconhece e quer reforçar o trabalho já realizado no Município pelo Comitê para Promoção da Vida, Prevenção ao Suicídio e Posvenção em Comportamento Suicida, bem como pelos serviços de atendimento em saúde mental Caps e Ament e pela rede de psicólogos.

“É cada vez mais crescente o número de casos de transtornos de ordem psiquiátrica e psicológica na população, como a depressão, em diferentes faixas etárias, níveis de escolaridade e profissional, classes socioeconômicas e infelizmente, em muitos casos a consequência é o sucídio. Com a pandemia, esse cenário preocupa ainda mais”, alerta o vereador.

Setembro Amarelo

O Setembro Amarelo é um movimento mundial de conscientização sobre o suicídio e para mostrar que existe prevenção em mais de 90% dos casos, segundo a Organização Mundial da Saúde. Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), organiza a campanha no Brasil.