O Vereador Rodrigo Massulo realizou mais uma edição de seu Gabinete Móvel no último sábado, 28/4. Desta vez, foi na Vila Assis Brasil, onde Massulo conversou e ouviu os moradores.

Desde o início de 2017, o Gabinete Móvel do Vereador visita um bairro diferente a cada mês. “Meu compromisso é estar sempre presente, e não somente aparecer em época de eleição”, diz Rodrigo Massulo.

O vereador Rodrigo Massulo sugeriu à Administração a criação de um Conselho Municipal de Transparência. O objetivo principal, segundo o parlamentar, é de sugerir demandas relacionadas à transparência, além de fazer o acompanhamento do cumprimento da Lei de Acesso à Informação em Santo Antônio da Patrulha.

Recentemente, o vereador Massulo teve uma lei de sua autoria aprovadapela Câmara e sancionada pelo Poder Executivo, a qual prevê obrigatoriedade de divulgação da lista de espera para vagas na educação infantil. A lei, diz o parlamentar, é mais uma aliada na luta pela transparência no setor público.

“A criação de um conselho municipal não acarreta nenhuma despesa para o município e poderá ser mais uma ferramenta em prol da transparência, que é, inclusive, um dos princípios da administração pública”, disse Rodrigo Massulo.

Leia aqui o resumo da Ordem do Dia e do Expediente da 10ª Reunião Ordinária da Câmara, realizada no dia 09 de abril de 2018.

Acompanhe também o áudio da Sessão clicando no ícone Câmara em áudio - No Ar

Em ofício enviado para o Comando da Brigada Militar do RS e para o Secretário de Segurança do Estado, o Vereador Rodrigo Massulo solicita a transferência de três policiais para Santo Antônio da Patrulha. Os três atualmente estão lotados em municípios da Região Metropolitana, mas possuem residência em Santo Antônio e manifestaram desejo de trabalhar em solo patrulhense.

Em 2016, quando ainda não era vereador e trabalhava na Assembleia Legislativa, Rodrigo ajudou na transferência de um PM que também queria trabalhar em SAP, mas atuava em Esteio. A insistência e os diversos contatos deram certo. Hoje, o policial atua em Santo Antônio.

“Começamos a conversa com o ex-secretário Jacini e depois continuamos com o atual, César Schirmer. Deu certo e mais um policial veio para cá. Agora, vamos tentar dialogar com o governo do Estado no sentido de ajudar esses três patrulhenses que desejam contribuir com a melhoria da nossa segurança pública", diz Massulo, lembrando que a cidade possui uma vasta extensão territorial e precisa de mais efetivo. Todos os vereadores assinaram o requerimento proposto por Massulo.

 

Na última reunião ordinária da Câmara de Vereadores de Santo Antônio da Patrulha, ocorrida em 09 de abril, o vereador João Luis Bacana, levantou a questão sobre o modo como é feita a segurança no Hospital Santo Antônio.


Bacana protocolou o Pedido de Informações nº 130/2018, solicitando qual a empresa que faz a segurança armada na casa de saúde e seu respectivo custo. Além disso, também questionou se esta segurança é feita por pessoal com treinamento específico para uso de armas.


Ao falar sobre o assunto em tribuna, o vereador salientou que em outros hospitais da região, como Porto Alegre, Rolante, Riozinho e Osório, os seguranças não portam armas, levantando mais uma vez a dúvida sobre o motivo destes profissionais estarem armados em Santo Antônio da Patrulha. Além disso, Bacana também quer saber se os contratados são realmente profissionais treinados para portar armas de fogo e se estão preparados psicologicamente para agir em situações críticas.


Outra duvida do edil é sobre o por quê a empresa responsável pela segurança da Santa Casa de Santo Antônio é feita por uma empresa de fora do município e enfatizou que há muitas empresas do ramo na cidade que deveriam ser valorizadas, inclusive barateando o custo, o que poderia gerar investimento em outras áreas como médicos, medicamentos e outras benfeitorias no hospital.


O pedido foi referendado pelos vereadores André Selistre, Eronita Andrade, Valtair Andrade, Rodrigo Massulo, Marcelo Gaúcho, Samuel Souza, Dirceu Machado e pelo Presidente da Casa, Jorge Eloy de Oliveira.