sessoes ordinarias

SESSÕES ORDINÁRIAS:

segundas-feiras, às 16 horas.
Meio Ambiente: Vereador se preocupa com coleta de lixo eletrônico
Meio Ambiente: Vereador se preocupa com coleta de lixo eletrônico

estimativa é que, em média, sejam descartados 6,7 quilos de lixo eletrônico para cada habitante do nosso planeta. No Brasil, o problema não é menor. Sétimo maior produtor do mundo, com 1,5 mil toneladas por ano, estima-se que em 2018 cada um de nós jogará fora pelo menos 8,3 quilos de eletrônicos.

Não existe segredo. Até a metade da década de 1990, 90% do lixo eletrônico era alocado em aterros sanitários, incinerado ou reutilizado sem tratamento, expondo as pessoas aos perigosos produtos químicos.

Couro sintético é feito a partir do PVC, que é derivado do petróleo e, ao contrário do couro natural, não se degrada com o tempo, persiste como o plástico. Ele pode apresentar-se de diversas maneiras ou cores e, inclusive, com a textura semelhante com a do couro natural. No Brasil a quantidade produzida é grande e este é um grande problema ambiental e para as empresas. Segundo um estudo do Senai-RS, por dia, são produzidas 300 toneladas, em média, de retalhos de couro no país.

Preocupado com o crescimento e prejuízos causados pela disposição e descarte inadequado, o vereador usando a tribuna na 37ª Reunião Ordinária da Câmara de Vereadores, desta segunda-feira (15), encaminhou ao executivo um Requerimento nº 605/18, para saber, onde é feito o descarte de retalhos de couro, lixo proveniente de fábricas e atelier de calçados de nosso município, e que destino esta sendo dado ao lixo eletrônico de nossa cidade.

Além disso, Samuel quer saber se existem convênios estabelecidos atualmente para autuação quanto ao recolhimento e destinação, se existe custo para o município relacionado à destinação do material recolhido, se existe qual o contrato e valor pago mensalmente, e como é feita a divulgação deste trabalho.

 “O lixo eletrônico é um desafio para um mundo inteiro e a indústria de eletroeletrônicos é uma das que mais cresce atualmente. Segundo dados da ONU, em 2020 o lixo eletrônico de computadores crescerá em 400% ante o nível de 2007″, finaliza Samuel.

Detalhes

Escrito por: Claudio Franken - Assessoria de Imprensa
Categoria: Notícias
Postado: 18/10/2018
Atualização: 18/10/2018
Acessos: 141

Compartilhar

whatsapp facebook twitter
Pular para o conteúdo